Gerências

Economia Criativa

 

A Gerência de Economia Criativa (Gecria) é responsável por formular, identificar e promover o desenvolvimento de projetos ligados ao fortalecimento da dimensão econômica das atividades culturais. A Gecria deve estimular, incrementar e apoiar o desenvolvimento e articulação de ações de fomento das cadeias produtivas ligadas à cultura com potencial de geração de emprego e renda, com ênfase nos segmentos estratégicos para o Estado.

A Gecria também promove ações de monitoramento e análise de dados sobre o impacto das atividades culturais no ambiente social e econômico do Espírito Santo, definindo indicadores para subsidiar a elaborar projetos e programas de desenvolvimento das cadeias produtivas da cultura.



Espaços e Articulação

 

A Gerência de Espaços e Articulação Cultural (Geac) foi criada a partir da demanda de um olhar específico para os espaços culturais vinculados à Secretaria dentro da estrutura organizacional. São eles: o Theatro Carlos Gomes; a Galeria Homero Massena; o Museu de Artes do Espírito Santo; o Museu do Colono e o Palácio da Cultura Sônia Cabral. 

Compete à Gerência de Espaços e Articulação Cultural programar, organizar, orientar e coordenar as atividades dos espaços culturais; coordenar a administração dos espaços, centralizando as demandas de serviços, contratos, pessoal e estrutura relativas a eles; promover o fortalecimento e a articulação de outros espaços culturais, públicos e privados, a fim de compor calendário integrado de ações e criar redes horizontais de programação entre espaços privados e públicos no âmbito do Espírito Santo. 



Fundo Estadual de Cultura

 

A Gerência do Fundo Estadual de Cultura - GFEC tem a atribuição de formular e desenvolver os mecanismos previstos em lei para aplicação e destinação dos recursos do Fundo Estadual de Cultura; elaborar, identificar e definir, sob a orientação da chefia imediata, projetos que irão ser desenvolvidos com os recursos do Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo (Funcultura). 

Também cabe à GFEC definir, orientar e acompanhar todos os processos administrativos para o cumprimento das diretrizes do Funcultura, desenvolvendo cronograma financeiro de receita e despesa, dando suporte técnico aos demais setores da Secult na elaboração, no acompanhamento e na respectiva execução dos projetos, bem como sugerir a normatização dos processos de prestação de contas relativas à aplicação dos recursos.



Memória e Patrimônio 

 

À Gerência de Memória e Patrimônio (GMP) compete formular, identificar, promover, recuperar e defender o patrimônio histórico, cultural, artístico e natural do Estado do Espírito Santo.  A atuação da GMP abrange bens de natureza material e imaterial. Cabe a ela realizar o inventário do acervo dos bens culturais protegidos pelo Estado; identificar e inventariar os bens e referências culturais de interesse para a preservação, bem como propor o seu tombamento e analisar os pedidos de tombamento. A GMP também pode estimular as atividades de estudo e pesquisa; promover educação patrimonial através de programas que contribuam para a valorização das referências de valor histórico e artístico.

 

Sistema Estadual de Bibliotecas

À Gerência do Sistema Estadual de Biblioteca compete planejar, coordenar e executar a supervisão e o controle das atividades desenvolvidas pelas bibliotecas públicas do Estado, administrando os espaços físicos da Biblioteca Pública Estadual e suas subsidiárias. A gerência também organiza e atualiza o catálogo do acervo bibliotecário, promove, coleta, seleciona, identifica, organiza e divulga os materiais adquiridos para o acervo.



Territórios e Diversidade

A Gerência de Territórios e Diversidade (GETD) é responsável por formular, identificar e promover o desenvolvimento de projetos ligados às políticas culturais, com ênfase em promoção de cidadania e democratização do acesso aos meios de produção da Cultura. A gerência é a principal interface da Secult com o Programa Estado Presente. É da GETD a função de promover mais cultura em territórios de vulnerabilidade social e no interior do Estado, descentralizando o fazer cultural.

Também cabe à GETD elaborar, definir e executar programas de interface com juventudes, territórios de vulnerabilidade social e minorias sociais; bem como promover, monitorar e articular iniciativas e atividades que tenham como objetivo a promoção da diversidade cultural para a cidadania, gerenciando contratos e parcerias institucionais.

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard