10/08/2017 15h56 - Atualizado em 10/08/2017 16h40

FUNCULTURA: Inventário Afetivo e Exposição Fotográfica promovem um resgate histórico em João Neiva

Visando reunir um acervo significativo e identificar as referências culturais que formam o patrimônio e a cultura do distrito de Demétrio Ribeiro, em João Neiva, acontece no dia 19 de agosto (sábado) o lançamento da exposição fotográfica itinerante “Memórias Afetivas” e o “Inventário Afetivo do Núcleo Colonial de Demétrio Ribeiro” . O evento acontece às 10 horas, na Quadra de Esportes da comunidade de Demétrio Ribeiro e, às 15 horas, na Secretaria Municipal da Cultura, Turismo e Juventude (SEMUC), onde a exposição permanece até o dia 22 de setembro.

 O resultado do projeto cultural realizado por uma equipe de pesquisadores, que, entre os meses de janeiro e julho de 2017, fez coleta de depoimentos, fotografias, documentos, além de pesquisas em arquivos, bibliotecas e museus. A atividade é uma iniciativa dos pesquisadores Anderson Gomes Barbosa e Jéssica da Silva Pereira e foi contemplada com recursos do Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo (Funcultura), referente ao Edital de Seleção de Projetos nº 02/2016, que visa à valorização da diversidade cultural capixaba.

 A documentação do inventário reúne registros com datas desde o final do século XIX até 2017 e também está em espaços virtuais, como é o caso do blog do projeto <www.inventarioafetivodemetrioribeiro.blogspot.com.br>.

    O Núcleo Colonial de Demétrio Ribeiro

 A colonização da região onde se situa o Município de João Neiva-ES teve início com a chegada de imigrantes, principalmente italianos. As primeiras famílias vieram no ano de 1877 e, em 1891, foi fundado o Núcleo Colonial de Demétrio Ribeiro.

 Os italianos que se instalaram em Demétrio Ribeiro dedicaram-se à monocultura do café, ao comércio e à agricultura de subsistência. A localidade se desenvolveu em virtude do movimento comercial emergente e da criação, posteriormente, da primeira fábrica de cerveja do Estado, denominada Super Ártica. O povoado chegou a ter telefone, luz elétrica, jornal, cinema e farmácia. A primeira Usina Hidrelétrica da região foi construída em Demétrio Ribeiro por Guilherme Baroni em 1920 e gerava energia para três famílias e uma casa comercial. No entanto, em 1905, o traçado da Estrada de Ferro Vitória a Minas, passando pela atual Sede de João Neiva, não contemplou o vilarejo que ficou esquecido entre as montanhas.  

 Projeto colaborativo

 O projeto é realizado com a colaboração de quem tem interesse em contribuir com depoimentos, documentos e imagens que permitam resgatar a história do Núcleo Colonial de Demétrio Ribeiro. Nesse sentido, é possível tornar-se colaborador por meio da cessão dos originais, cópias digitalizadas ou registros de depoimentos. Para informações e orientações sobre propostas de doação, deve-se entrar em contato no e-mail andufes@yahoo.com.br ou no telefone (27) 99700 2933.    

 

Assessoria de Comunicação da Secult

Carol Veiga / Erika Piskac / Danilo Ferraz

secultes.imprensa@gmail.com

comunicacao@secult.es.gov.br

Tels.: 3636-7111/99808-7701/99902-1627

Facebook: secult.espiritosanto

Texto: Danilo Ferraz

 

 

 

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard