08/10/2019 09h42

Espetáculo de dança ‘Revoada’ trata das tensões e formas de habitar a cidade

A nova montagem do Grupo Z e da Companhia Repertório Artes Cênicas&Cia estreia nesta sexta-feira (11) e irá circular em espaços públicos de Vitória até o início de novembro.

Em muitos aspectos, o comportamento dos animais urbanos, como os pombos, carrega muitas semelhanças com o comportamento humano. Esses animais ora vistos com piedade são tolerados e chegam a ser alimentados, ora são tidos como pragas e espantados. De alguma maneira, a forma de certos grupos humanos ocuparem a cidade também reproduz esses dois extremos. Partindo dessa premissa, o espetáculo Revoada, novo trabalho de dança contemporânea do Grupo Z em parceria com a Companhia Repertório Artes Cênicas&Cia, irá para as ruas e espaços públicos de Vitória a partir desta sexta-feira (11) e seguirá em temporada até o dia 03 de novembro. A agenda de apresentações está no fim desta matéria. 

 

O espetáculo

  Revoada apresenta um paralelo entre o comportamento dos homens e dos pombos, um retrato animalesco do modo de existir contemporâneo. Pombos, assim como os seres humanos, se aglomeram nos espaços urbanos, revoam pelas ruas, praças e monumentos. Na montagem, os intérpretes irão performar seres que transitam entre o pássaro, a peste urbana – e o humano, os corpos irão carregar características que se alternam entre humanas e animais para dar origem a um terceiro corpo, nem bicho e nem gente, meio animal e meio humano.

Para construir essa narrativa, o elenco do espetáculo está desenvolvendo a pesquisa coreográfica e dramatúrgica desde o início deste ano. Nessa investigação, buscou-se explorar as peculiaridades de cada corpo, de cada intérprete, resultando em movimentos e cenas que foram trabalhados pela direção e devolvidas aos intérpretes, que, apropriados dessa nova criação, as assumia organicamente em seus corpos.

Carla Van Den Bergen, coreógrafa do espetáculo, explica um pouco sobre como foi o processo de criação coreográfica na sala de ensaio: “a partir de estudos de movimentos de algumas aves, construímos um trabalho de animalização do corpo humano. Tendo isso feito, fazíamos um trabalho oposto: a partir do corpo animalizado compor a humanização desse corpo. Essa foi a principal característica do processo de pesquisa coreográfica e corporal de Revoada”.

Da sala para as ruas

Inicialmente, Revoada foi pensado para acontecer em uma sala de espetáculo convencional, porém, prestes de chegar no dia da estreia, a condução da montagem sofreu um revés: sair de espaço fechado e ir para as ruas, para o espaço público. Para Nieve Matos, uma das dramaturgas da montagem, a inquietação para empreender essa mudança partiu da própria construção do espetáculo:

“Todos os espaços que íamos construindo ficcionalmente na sala de ensaio eram espaços públicos. A rua e urbanidade se faziam muito presentes. Ao colocarmos isso na rua, já há a dramaturgia do próprio espaço, então tudo faz sentido. Enquanto procurávamos criar essa ambiência, agora o espetáculo assume essa característica um pouco mais performativa que é a de ocupação desses espaços, de um aproveitamento do público”, explica Nieve Matos.

Fernando Marques, que também assina dramaturgia da montagem, conta que, após a concepção inicial, o tema do espetáculo foi ganhando amplitude sob a influência de acontecimentos políticos recentes: “quando consideramos o momento político em que a gente vive -  onde ocorrem perdas de direitos, a tolerância com o diferente se torna cada vez menor e onde movimentos violentamente excludentes passam a ganhar mais força - passamos a pensar em como as relações dos nossos corpos com a cidade também são afetadas a partir desse contexto”. 

O projeto de Revoada foi contemplado com recursos do Funcultura através do Edital 024/2018 - Seleção de Projetos Culturais Setoriais de Dança do Espírito Santo da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo. 

 

SERVIÇO

Estreia do espetáculo Revoada

Dia 11 de outubro de 2019 (sexta-feira), às 19 horas

Rua Sete de Setembro (área calçada) - Centro - Vitória

 

>>Temporada<<

13 de outubro (domingo), às 19 horas

Praça Nilze Mendes - Jardim Camburi (próximo à Faculdade Estácio de Sá) - Vitória

 

16 de outubro (quarta-feira), às 15 horas

Praça Getúlio Vargas - Centro - Vitória

 

18 de outubro (sexta-feira), às 15 horas

Praça Costa Pereira - Centro - Vitória

 

19 de outubro (sábado), às 13 horas

Praça Costa Pereira - Centro - Vitória

 

20 de outubro (domingo), às 15 horas

Praça da Piedade - Centro - Vitória

 

23 de outubro (quarta-feira), às 15 horas

Praça Getúlio Vargas - Centro - Vitória

 

25 de outubro (sexta-feira), às 19 horas

Rua Sete de Setembro (área calçada) - Centro - Vitória

 

26 de outubro (sábado), às 10 horas

Praça dos Desejos - Vitória

 

31 de outubro (quinta-feira), às 13h30 

Ufes Campus Goiabeiras (em frente à Cantina do Onofre) - Vitória

 

01 de novembro (sexta-feira), às 15 horas

Praça Costa Pereira - Centro - Vitória

 

03 de novembro (domingo), às 15 horas

Rua Sete de Setembro (área calçada) – Centro – Vitória

 

Entrada Franca!

Classificação Indicativa: Livre 

Informações à Imprensa

Assessoria de Comunicação da Secult
Aline Dias / Danilo Ferraz / Erika Piskac
(27) 3636-7111/99753-7583/99902-1627
secultjornalismo@gmail.com
comunicacao@secult.es.gov.br
https://www.facebook.com/SecultES/
https://www.instagram.com/secult.es/

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard