25/01/2019 15h01 - Atualizado em 25/01/2019 16h02

Cultura será ferramenta de diálogo e políticas públicas no Estado


O governador do Estado, Renato Casagrande, se reuniu nessa quinta-feira (24) com o secretário de Cultura, Fabrício Noronha, e representantes do Instituto Casa Comum, Célio Turino e Silvana Bragatto, especialistas em políticas socioculturais. Ao sair do encontro, o secretário destacou a importância da inclusão da cultura na agenda do Espírito Santo.

“Entender e agir com a cultura nas pautas urgentes da sociedade é muito importante para nossa gestão”, afirmou. Para isso, é preciso aprofundar a pauta e acordar políticas públicas eficazes para conectar pessoas em torno de projetos culturais de impacto. Por isso, é importante a presença dos especialistas do Instituto Casa Comum.

Célio Turino foi um dos responsáveis pela criação do programa Cultura Viva, do Governo Federal, que é uma política cultural voltada para o reconhecimento e apoio a atividades e processos que fazem parte da cultura popular. “Cultura é o que as pessoas fazem, remete às potências das pessoas. O que temos que fazer é iluminar o que as pessoas fazem”, explicou Turino.

Partindo da riqueza da produção cultural do Espírito Santo, e lembrando que quem faz a cultura são as pessoas, Noronha diagnosticou que há disposição da gestão em trabalhar essas potencialidades. “O objetivo é levar as tecnologias da cultura, integrando todos os segmentos do governo com o propósito de transformação”, disse.

Diálogos

O secretário tem realizado diversas reuniões com setores da cultura, do poder público e da sociedade civil organizada para criar um ponto de convergência. Turismo, Planejamento, Fazenda e Direitos Humanos foram algumas pastas que se reuniram com a Secretaria de Cultura (Secult) neste primeiro mês de gestão. “Pela importância da transversalidade neste Governo, temos conversado com diversos colegas secretários na busca de agendas e projetos comuns”, explicou Noronha.

Um exemplo foi a reunião com a vice-governadora Jacqueline Moraes, na última quinta-feira (17). O secretário e a subsecretária de Estado de Cultura, Carolina Ruas, conversaram sobre políticas públicas específicas para mulheres. A Secult se colocou à disposição para colaborar na diminuição dos índices de feminicídio e violência doméstica.

“Estamos trabalhando em três frentes nesses 100 primeiros dias de governo: a primeira é a Gestão, olhando para estrutura e processos; a segunda é voltada para políticas públicas, planejando aperfeiçoamentos e novas ações. A terceira é o diálogo, nos encontrando com o setor e uma rede de fazedores da cultura daqui e de fora”, conta Noronha.

Entre os fazedores de fora que vieram à Secult, está Claudiney Ferreira, do Itaú Cultural. O encontro foi o pontapé inicial para parcerias futuras entre Secult e Itaú Cultural. Nesta sexta-feira (25), Noronha conversa com a escritora, pesquisadora Bernadette Lyra. Bernadette foi a primeira secretária de Cultura do Espírito Santo, logo que a pasta foi criada, em 1995. Em 2018, ela foi eleita a maior pesquisadora de cinema do País.

Noronha também se reuniu com a Comissão de Folclore, a Associação Brasileira de Documentaristas e Curtas Metragistas do Espírito Santo (ABD Capixaba), a Arcelor Mittal, e o grupo Gold, que trabalha com cultura LGBT.  Mais encontros já estão agendados para os próximos dias.

Texto: Aline Dias 

Informações à imprensa

Assessoria de Comunicação da Secult

Aline Dias/ Danilo Ferraz/ Erika Piskac

secultes.imprensa@gmail.com

comunicacao@secult.es.gov.br

Tels.: 3636-7111/99808-7701/99902-1627

Facebook: secult.espiritosanto

Instagram: @secult.es

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard